“Estressado” se tornou um adjetivo muito comum, junto com o ansioso, para falar a respeito da maioria das pessoas na atualidade. Trânsito parado, filas em qualquer lugar, violência, preocupações… Esses e muitos outros fatores pressionam e nos desafiam a manter o bem-estar e o equilíbrio diante de tantas demandas.

É preciso aprender a lidar com essa pressão, encontrando formas de aliviar a carga negativa que nos permitimos acumular diariamente. Se não as descarregamos com alguma atividade, a tendência é nos desgastar internamente, acumulando prejuízos para nossa saúde física, mental, emocional e espiritual.

Eu me estresso, nós nos estressamos… E ficamos ansiosos

Estresse é algo muito próximo da ansiedade. É um estímulo do corpo para os momentos de perigo. Nossos ancestrais e outros animais sobreviveram graças ao mecanismo da ansiedade (e estresse) diante de perigos reais como ameaças de animais ferozes, guerras tribais, catástrofes do tempo, busca pelo alimento, luta por espaço geográfico, etc.

Nós, seres humanos de hoje, apesar de ameaças como essas não mais existirem tal como já existiram, possuímos ainda esse mecanismo de defesa (afinal, nossa genética não mudou muito), permaneceu a capacidade de reagirmos ansiosamente diante de situações que nos representam ameaças.

Quando estamos numa situação estressante, existe um estímulo para a ação, e o cérebro comanda a liberação de adrenalina no nosso sangue para que façamos alguma coisa. Para saber mais sobre isso, leia esse artigo sobre ansiedade.

E a pergunta é: seria mesmo possível colocar tudo ou boa parte do que “sofremos” hoje dentro das consequências do estresse? Ou será que já é ansiedade?

Sintomas de estresse

  • Desgaste constante, cansaço;
  • Tristeza, isolamento, nó na garganta;
  • Alteração do sono (dormir demais ou ter insônia);
  • Tensão muscular;
  • Dor de cabeça;
  • Formigamento nas mãos e no rosto;
  • Problemas de pele;
  • Hipertensão;
  • Mudança de apetite;
  • Alterações de humor, irritação;
  • Perda de interesse pelas coisas;
  • Problemas de atenção, concentração, memória;
  • Distúrbios de ansiedade;
  • Depressão.

Como tratar o estresse

Não é raro uma pessoa ir a um médico, ser examinada, fazer exames e ouvir: “Você não tem nada. É só emocional”.  Mas, se é emocional, é alguma coisa. Já é muita coisa. Nós temos os corpos sutis – emocional, mental, espiritual, etc. – e o corpo físico, que se relaciona com esses “invisíveis”.  Então é inevitável que as emoções afetem o nosso corpo físico.

Quero te adiantar que nós preparamos uma série de vídeos explicando como ficamos doentes. Até o final desse texto, você encontrará o link para assistir.

Por esse motivo, não é nada sensato esperar que as emoções criem um solo fértil para as doenças cardíacas (hipertensão, infarto, hipertrofia cardíaca), derrames, enxaquecas, insônia, depressão, transtornos de ansiedade. É preciso tomar uma providência.

Estresse emocional: como evitar

A primeira das providências é olhar para si com sinceridade e perceber o que te estressa. É o trabalho, o emprego, a relação com os colegas ou o chefe? É a relação com a família, é o relacionamento com o(a) companheiro(a), é a preocupação com os filhos, familiares?

O estresse também é um sinal de que não conseguimos nos adaptar a uma situação cotidiana, e que pode existir uma resistência, um medo do novo, dificuldade para mudar, ou até teimosia, falta de flexibilidade.

Todo o suporte emocional que puder ter é válido, nem que seja por uma conversa franca e aberta com os envolvidos (se houver pessoas envolvidas). Há várias formas de auxílio hoje em dia, de psicoterapias a terapias naturais, holísticas, que não vão olhar apenas o seu corpo, mas o ser complexo e integral que você é.

“Eu quero sair correndo daqui”

Quem já não se viu em uma situação tensa, estressante, e quis fugir? Quis ir embora para casa ou para outro lugar, e largar tudo, o emprego, ou qualquer outra coisa no auge das emoções? Só tem uma diferença bem significativa ao dizer “sair correndo daqui” nesse artigo. Vou explicar melhor.

Como nós vimos antes, estresse libera adrenalina, assim como acontece com a ansiedade. Por isso, uma forma interessante de escoar essa substância é praticando atividades físicas, como correr (sim!). Podemos começar com uma caminhada, subir e descer escadas… Coisas simples que não precisam de dinheiro, apenas 20 ou 30 minutos do seu dia.

Então, no fundo, estamos certos em querer sair correndo, pois dessa forma podemos equilibrar novamente nossas emoções, tranquilizar a mente e, ainda, colocar o corpo em movimento. Vale lembrar que não adianta sair correndo dos problemas, como se, ao voltarmos à nossa mesa, eles já tivessem se resolvido ou partido, ok?

Fitoenergética também pode ajudar os estressados

Além de ser necessária uma mudança de atitude mental, é possível combinar outras técnicas terapêuticas como a Fitoenergética.

Ela é um sistema natural de cura que se baseia no princípio de que os vegetais possuem um campo de energia que pode influenciar de forma positiva e reparadora na anatomia sutil dos seres vivos. O princípio ativo das plantas pode atuar nos nossos pensamentos, emoções e sentimentos e também, por consequência, em nosso corpo físico.

Para que a energia das plantas (fitoenergia) aja nas causas geradoras de doenças e de desequilíbrio, são preparados tratamentos especialmente para cada pessoa, ambiente, ou animal de estimação. Sim, nossos lares, escritórios, e até nossos amigos animais podem se favorecer com esta técnica.

A Fitoenergética pode se utilizada junto com outras técnicas terapêuticas, inclusive com o tratamento alopático, no caso de doenças que se encontram em estágio avançado.

É importante dizer que nenhum tratamento atinge todo seu potencial sem que a pessoa ansiosa e doente se conscientize e entenda que é necessário seu comprometimento para que a cura realmente se manifeste.

Nossa dica para os estressados

Nós acreditamos muito no poder transformador de cada pessoa e que podemos nos curar. Para que a cura aconteça, podemos também associar todos os recursos disponíveis ao nosso redor. E um recurso imprescindível para ela é o nosso comprometimento.

Se você se compromete em mudar a sua vida, os seus pensamentos, a cura aparece!

Fonte: http://fitoenergetica.com.br/estresse-alternativas-para-acabar-com-ele/

Write A Comment